Software de Gestão do Conhecimento para Trabalhos Acadêmicos

Clique AQUI para acessar mais informações.



sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

INDUBITAVELMENTE O FILÓSOFO HOLANDÊS MAIS FORMIDÁVEL DO SÉCULO XX


Dr. P.B. Cliteur, presidente da Liga Humanista dos Países Baixos e professor de filosofia na Universidade Técnica de Delft escreveu em 8 de outubro de 1994: "Herman Dooyeweerd é indubitavelmente o filósofo holandês mais formidável do século 20. ... Como um humanista eu sempre olhei para a minha própria tradição em busca de exemplos semelhantes. Eles simplesmente não existem. Claro, humanistas escreveram muitos livros importantes, mas no caso de Herman Dooyeweerd nós estamos justificados em falar sobre um filósofo de reputação internacional."

Na ocasião da comemoração do 70° aniversário de Dooyeweerd um artigo apareceu no Jornal holandês ‘Trouw' (6 de outubro, 1964). Foi escrito pelo prof. G.E. Langemeijer, um jurista da Universidade de Leiden, procurador geral da suprema corte holandesa e presidente da Academia Real Holandesa de Ciências. Ele explicitamente mencionou que vem de "uma visão de mundo totalmente diferente" e continuou observando que Dooyeweerd pode ser chamado "o filósofo mais original que a Holanda já produziu, incluindo Spinoza."

Giorgio Delvecchio, o grande filósofo Italiano Neo-Kantiano, considerou Dooyeweerd "o filósofo mais profundo, inovador, e penetrante desde Kant."

Herman Dooyeweerd, pioneiro da filosofia calvinística

Apresentação por John Witte Jr., na introdução de "Uma Teoria Cristã de Instituições Sociais" (Herman Dooyeweerd, trad. Magnus Verbrugge. 1986, Fundação Herman Dooyeweerd.) Traduzido do Inglês com permissão por Guilherme Carvalho.

Herman Dooyeweerd nasceu em Amsterdã em 1894, filho de pais Calvinistas. Em 1912 ele se matriculou como um estudante de direito na Universidade Livre de Amsterdã, uma instituição Cristã fundada em 1880. Cinco anos mais tarde obteve o doutorado em direito. [A Dissertação de Dooyeweerd, De Ministerraad em Nederlandsche Staatsrecht (O Parlamento na Lei Constitucional holandesa) foi escrita sob a supervisão de D.P.D. Fabius, um teorista constitucional.]

De 1918 até 1921 Dooyeweerd trabalhou no Departamento holandês do Trabalho como um escrivão legislativo. Do final de 1921 até à metade de 1926 serviu como diretor assistente da recentemente organizada Fundação Dr. Abraham Kuyper, um órgão de pesquisa e ação política do Partido Anti-Revolucionário dos Países Baixos (ver "O Legado de Kuyper," abaixo). Lá ele foi responsável não só pelo encaminhamento dos assuntos imediatos de política que surgiam diante do Partido Anti-Revolucionário, mas também pela elaboração dos princípios Calvinistas de lei, política, e sociedade sobre os quais Partido tinha sido estabelecido cerca de 80 anos antes. Foi ao se desincumbir desta responsabilidade - uma responsabilidade em que ele mesmo insistiu -que Dooyeweerd começou

(1) a estudar sistematicamente as teorias Calvinistas tradicionais do direito, política, e sociedade;

(2) a explorar as estruturas e organização de várias sociedades históricas; e

(3) se empenhar criticamente numa grande variedade de teorias presentes e passadas de lei, política, e sociedade.

Seu trabalho nestes quatro anos culminou em cinco artigos principais, incluindo um tratado de quinze partes, "Na Luta por uma Política Cristã" [Herman Dooyeweerd, "In den strijd om een Christelijke Staatkunde. de Proeve een fundeering der Calvinistische levens- en wereldbeschouwing in hare Wetsidee," I Antirevolutionaire Staatkunde (daqui em diante A.R.S.) 7-25 62- 79, 104-118, 161-173, 189-200, 228-244, 309-324, 433-460, 489-504, 528- 542 581-598, 617-634, (1924-5); 2 A.R.S. 244-65, 425-445 (1926).

A.R.S. era o jornal mensal da Fundação Dr. Abraham Kuyper, que Dooyeweerd editou por vários anos. Este trabalho aparecerá como o volume B5 das Obras Completas de Dooyeweerd.] e uma importante monografia sobre “O Calvinismo e Lei Natural” (contido no volume B1 das Obras Completas de Dooyeweerd).



Em 1926 Dooyeweerd retornou à sua alma mater como um professor de filosofia do direito, história do direito holandês, e enciclopédia de leis. Ele reteve esta posição até sua aposentadoria em 1965. Nos primeiros cinco ou seis anos de sua docência, ele mudou o enfoque de sua pesquisa e publicações dos assuntos mais gerais de teoria política e social Calvinista para perguntas complicadas de doutrina e filosofia do direito.

Em uma série de brilhantes artigos, ele analisou, historicamente e filosoficamente, as questões complicadas da causalidade jurídica, culpa, responsabilidade, propriedade, e fontes da lei. Desde o princípio, porém, ele insistiu em ver estas questões legais, como também questões de política e sociedade, no contexto de uma teoria mais ampla da natureza e destino do homem (antropologia), do ser e da ordem (ontologia), e do conhecimento e suas fontes (epistemologia).

Nos anos 30 Dooyeweerd começou a elaborar sistematicamente e em detalhes estes três campos filosóficos para mostrar a sua importância na definição e solução de assuntos de lei, ciência política, sociologia, e muitas outras ciências.

Primeiramente ele articulou suas visões em “A Crise de Teoria Política Humanística à Luz da Cosmologia e Epistemologia Calvinista (1931) (De Crisis der Humanistischen Staatsleer in het Licht eener Calvinistische Kosmologie en Kennistheorie [Amsterdã: 1931)]. Mas esse trabalho foi rapidamente eclipsado por sua revolucionária obra em três volumes, “A Filosofia da Idéia Cosmonômica” (1935-1936) [De Wijsbegeerte der Wetsidee (Amsterdã: 1935-36)].

Enquanto seus artigos de uma década antes tinham feito avanços apenas rudimentares nos ensinos Calvinistas tradicionais, as idéias e análises apresentadas nestes volumes posteriores eram contribuições profundas e originais, arraigadas no pensamento Calvinista. Eles permaneceram no centro de sistema filosófico do Dooyeweerd para o resto de sua vida. Sua obra nos quarenta anos seguintes era, em muitos aspectos, uma amplificação e aplicação das idéias seminais desenvolvidas neste período formativo. Ele ampliou sua antropologia e sua crítica de teorias tradicionais em uma série de artigos e revisões, e então em uma obra em três volumes, “Reforma e Escolasticismo em Filosofia” [volumes A5, A6 A7 das Obras Completas de Dooyeweerd].

Ele ampliou sua ontologia e epistemologia em vários artigos subseqüentes e em edições e traduções posteriores de sua “Filosofia da Idéia Cosmonômica”. Ao mesmo tempo, ele retomou seu tratamento detalhado das perguntas de lei, política, e sociedade com que ele começou sua carreira.

Sistematizou muitos de seus conceitos de direito e política e “afiou” sua análise antiga da história de teoria legal e política em seu trabalho de dois volumes, “Enciclopédia de Ciência do Direito” [Encyclopacdie der Rechtswetenschap – a aparecer como volumes A8 - A12 das Obras completas de Dooyeweerd].

Ele elaborou também sua teoria social em vários artigos e revisões nos anos 40 e 50. Um dos mais importantes dentre estes trabalhos é a obra “Dez Conferências de Sociologia”, que é traduzida no volume mencionado acima nas Fontes - será republicado no B-Série do Obras completas de Dooyeweerd.

Dooyeweerd permaneceu um estudioso profundo e prolífico até à sua morte em 1977. No curso de sua vida, ele publicou mais de 200 livros e artigos, presidiu numerosas sociedades legais, filosóficas e simpósios, editou uma variedade de publicações acadêmicas e populares, e ensinou extensamente na Europa e América do Norte. Embora a novidade de suas idéias, e a acuidade de suas críticas outros pensadores tenha freqüentemente tornado o seu trabalho um objeto de controvérsia, Dooyeweerd angariou o respeito e o louvor tanto de aderentes como de antagonistas.

Ele foi um líder Cristão polivalente ganhando a atenção dos estudiosos em cada disciplina na qual buscou integrar fé e conhecimento.

O legado de Kuyper

A Fundação Abraham Kuyper foi estabelecida com a morte de Kuyper (1837- 1920), um brilhante teólogo Calvinista, pastor, jornalista, e político. Como teólogo e pastor, Kuyper articulou uma teologia Calvinista sistemática rica, revitalizou as raízes do calvinismo nos Países Baixos, e liderou em 1886 a separação (Scheiding) das novas igrejas reformadas (Gereformeerde Kerken) da igreja reformada antiga (Hervormde Kerk).

Como um político e jornalista, ele reorganizou o Partido Político Anti-revolucionário e o trouxe ao poder, servindo como Primeiro-Ministro dos Países Baixos de 1901 a 1905.

Ao longo de sua carreira, Kuyper permaneceu comprometido com a aplicação de reformas a todas as veredas da vida. Nesse espírito, ele fundou a Universidade Livre de Amsterdã em 1880, exigindo na Constituição da Universidade que todas as esferas de erudição fossem imbuídas de princípios Calvinistas. Nesse espírito, ele apresentou também suas “Palestras sobre o Calvinismo” (em português; cf. "bibliografia comentada", na página principal) na Universidade de Princeton em 1898, articulando os princípios Calvinistas básicos de religião, política, lei, ciência, e arte.

Nesse espírito também, seguidores de Kuyper (Colijn e Idenburg) articularam quando de sua morte a Fundação Dr. Abraham Kuyper, cuja missão é fornecer um foro para articular princípios Calvinistas de lei, política, sociedade e economia, em busca de soluções para assuntos específicos de política.

Apreciação de outros estudiosos

Em conclusão, três apreciações são mencionadas:

1. Dr. P.B. Cliteur, presidente da Liga Humanista dos Países Baixos e professor de filosofia na Universidade Técnica de Delft escreveu em 8 de outubro de 1994: "Herman Dooyeweerd é indubitavelmente o filósofo holandês mais formidável do século 20. ... Como um humanista eu sempre olhei para a minha própria tradição em busca de exemplos semelhantes. Eles simplesmente não existem. Claro, humanistas escreveram muitos livros importantes, mas no caso de Herman Dooyeweerd nós estamos justificados em falar sobre um filósofo de reputação internacional."

2. Na ocasião da comemoração do 70° aniversário de Dooyeweerd um artigo apareceu no Jornal holandês ‘Trouw' (6 de outubro, 1964). Foi escrito pelo prof. G.E. Langemeijer, um jurista da Universidade de Leiden, procurador geral da suprema corte holandesa e presidente da Academia Real Holandesa de Ciências. Ele explicitamente mencionou que vem de "uma visão de mundo totalmente diferente" e continuou observando que Dooyeweerd pode ser chamado "o filósofo mais original que a Holanda já produziu, incluindo Spinoza."

3. Giorgio Delvecchio, o grande filósofo Italiano Neo-Kantiano, considerou Dooyeweerd "o filósofo mais profundo, inovador, e penetrante desde Kant."

Fonte: http://www.freewebs.com/guilhermecarvalho/Dooyeweerd/Dooypage.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário